• Fred MaxLima

    Me desculpe, mas não tem como ler a passagem de MT 16,18 e conseguir entender que Jesus se referia a Ele mesmo. É uma desonestidade sem tamanho. Primeiro eu gostaria que me explicasse qual o sentido de Cristo ter dado um novo nome a Simão, chamando-o de Pedra? O próprio Cristo já tinha dito antes que Simão seria chamado de Kephas JO 1,42.

    Temos que voltar no tempo e lembrar que Jesus falava aramaico, onde Nosso Senhor fala Kephas. Só que no aramaico não existe distinção de gênero para masculino e feminino, por isso Kephas pode ser usado tanto para PEDRO como para PEDRA. Porém o evangelho foi escrito em grego Koiné, onde Petrus significa Rocha, e não tem nada haver com fragmento de rocha. E como no grego Koiné, diferente do aramaico, já existe distinção de gênero, por isso foi traduzido como Petrus pelo simples fato de ser um homem, onde não poderia ter sido traduzido como “petra” que é um nome feminino.
    Outro detalhe é que foi usado o pronome demonstrativo ESTA, e só se usa esse tipo de pronome para apontar algo ou alguém, e NUNCA a si mesmo. Nosso Senhor disse “…sobre ESTA PEDRA edificarei a MINHA Igreja”…

    Claramente Jesus se dirige a Pedro, sem se desviar dele em momento algum. Na sequencia continua a falar a Pedro dando-lhe “os poderes das chaves” que representa a autoridade, censuras, excomunhão, absolvição, disciplina batismal, imposição de penas e poderes legislativos. Pedro foi o único que recebeu tal “poder” de maneira nominal e singular, tornando-o preeminente. Os demais apóstolos receberam só depois MT 18,18.

    • http://www.rodolforossi.com.br Rodolfo Rossi

      Olá Fred, obrigado por visitar esse blog e deixar aqui seu comentário.

      Vejo que você tem um pouco de dificuldades em entender as Sagradas Escrituras, em especial o texto de Mateus16.18. Então vou explicar.
      ——————————————————————————————————————————————
      Fala de Fred Max Lima:
      Me desculpe, mas não tem como ler a passagem de MT 16,18 e conseguir entender que Jesus se referia a Ele mesmo. É uma desonestidade sem tamanho.
      ——————————————————————————————————————————————

      Começo dizendo que Não existem barreiras nenhuma no entendimento do que se refere o texto de Mateus 16.18.

      Eu não sei de onde você tirou a ideia deturpada de que Jesus mudou o nome de Pedro para Pedra, até mesmo porque nesse texto em nenhum momento aparece Jesus trocando o nome de seus discípulos, e nem tão pouco o nome de Pedro, por Pedra.

      Essas diferenças se da conforme a língua da qual aqueles que pronunciavam as palavras falava. Vou explicar:

      Pedro é chamado por quatro nomes no Novo Testamento, nome esses que significam a mesma coisa.

      Seu nome em hebraico era Simeão, embora o Novo Testamento grego traga como Simão, Seu Apelido hebraico era KEPHA, quem tem um significado de “ROCHA”, que ao transliterado para o grego fica CEFAS. Esses nomes no grego é traduzido como “ROCHA” que no grego é Petros. Quando vamos traduzir para o português, significa Pedro.

      Ou seja, Kepha(hebraico) e Cefas(grego) tem o mesmo significado: Pedaço de rocha.

      Petros em grego também significa “pedaço de rocha”, e quando é traduzido para o português temos a palavra Pedro, que na raiz da sua origem significa “pedaço de rocha”, “pedra pequena”.

      Pedro no grego é Petrus, que significa “pequena pedra”. Então Jesus nunca mudou o nome de Pedro como você alegou por trazermos o significado do seu nome.

      Pois quando Jesus olha para Pedro e diz: “…tus é Pedro” – A palavra

      “Pedro” aqui no original grego é: Petros.

      S você lesse um pouco mais a bíblia, e a estudasse de verdade, saberia que muito se importava naquela época os significados de cada nome. Pois cada pessoa recebia um nome segundo o seu significado, e foi por isso que Jesus chamou Simão Barjonas ( Mt 16.17) de Petros = Pedra pequena…

      Desta forma eu digo que desonestidade sem tamanho é a sua ignorância em relação ao assunto, falando daquilo que não domina e nem tem conhecimento pleno.

      ——————————————————————————————————————————————
      Fala de Fred Max Lima: Temos que voltar no tempo e lembrar que Jesus falava aramaico, onde Nosso Senhor fala Kephas. Só que no aramaico não existe distinção de gênero para masculino e feminino, por isso Kephas pode ser usado tanto para PEDRO co mo para PEDRA.
      ——————————————————————————————————————————————

      Segundo a sua afirmação você esta querendo dizer que Mateus errou quando ao escrever o seu evangelho traduzindo as palavras de Jesus de aramaico para o grego…?

      E você depois de quase dois milênios que esse texto foi escrito esta corrigindo Mateus por que o mesmo não sabia diferenciar os significados e a real transliteração do aramaico para o grego…?

      Você esta dizendo que Mateus não entendeu o contexto do que Jesus falava, onde levou Mateus errar por lhe faltar conhecimento?

      Não foi um copista que escreveu o evangelho de Mateus, por isso o próprio autor sabia o que estava escrevendo colocando exatamente o contexto do que Jesus queria revelar.

      Porem já explicando a diferença no comentário anterior não vou mais perder tempo sobre essa afirmação infantil…

      ——————————————————————————————————————————————
      Fala de Fred Max Lima: Porém o evangelho foi escrito em grego Koiné, onde Petrus significa Rocha, e não tem nada haver com fragmento de rocha. E como no grego Koiné, diferente do aramaico, já existe distinção de gênero, por isso foi traduzido como Petrus pelo simples fato de ser um homem, onde não poderia ter sido traduzido como “petra” que é um nome feminino.
      ——————————————————————————————————————————————

      Para mostrar que você está totalmente errado quando alega que o significado de Petrus=rocha, não tem nada haver com fragmento de rocha, vou apresentar aqui O léxico da Concordância nominal de Strong (Dicionário Grego Universal mais aceito entre os eruditos e teólogos do mundo todo.) que também faz essa diferenciação:

      • 4074 πεηρος Petros
      Aparentemente, palavra primária; um pedaço de rocha, pedra pequena; como um nome, petrus, um apóstolo: Pedro.

      Mas acho que o dicionário está errado nhé? Pois com certeza você deve estar certo, alias esse dicionário que os maiores teólogos e eruditos do mundo todo usam, não pode ser comparado as suas opiniões… não é verdade…? continuando…

      ——————————————————————————————————————————————
      Fala de Fred Max Lima: Outro detalhe é que foi usado o pronome demonstrativo ESTA, e só se usa esse tipo de pronome para apontar algo ou alguém, e NUNCA a si mesmo. Nosso Senhor disse “…sobre ESTA PEDRA edificarei a MINHA Igreja”… Claramente Jesus se dirige a Pedro, sem se desviar dele em momento algum.
      ——————————————————————————————————————————————

      Nisso você tem absoluta razão. O pronome demonstrativo (esta) está se referindo algo ou alguém, porém depois disso você se perde. Pois o pronome demonstrativo ( esta) é usado anterior a palavra (pedra), e não anterior a palavra (Pedro).

      Mateus 16.18
      “Pois também eu te digo que tu és Pedro(Petrus), e sobre esta pedra(Petras) edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

      Se Jesus estivesse falando de Pedro nesse texto, a palavra ESTA teria que servir para o nome de Pedro.

      Seguindo o seu critério, o verso deveria ficar assim:
      “Pois também eu te digo que tu és Pedro(Petrus), e sobre esta Pedro(Petrus)…??????

      Se o pronome demonstrativo esta no feminino, como pode estar falando do nome próprio de Pedro que é masculino…?

      Pois a revelação deste pronome ressalta para Petras(Pedra Rochosa, Grande Pedra).

      A Palavra pedra no Original grego é: Petras.

      MATEUS 16.18
      kagw de soi legw oti su ei PETROV kai epi tauth th PETRA
      oikodomhsw mou thn ekklhsian kai pulai adou ou katiscusousin authV – ( Original Grego )

      4073 πεηρα petra
      Feminino da ( Petrov = Petrus ) 4074, uma massa de rocha, literalmente ou figurativamente.

      Ou seja, petros (Pedro) é um pedaço de rocha, enquanto que petra (Jesus) é uma massa rochosa.

      John Groves, em seu dicionário grego, apresenta a mesma diferença fundamental:

      • Petra: Uma rocha, grande pedra, uma massa de pedra.
      • Petros: Uma pedra, pedaço de pedra, fragmento da rocha.

      Cristo, na verdade, não disse “sobre ti, Pedro” ou “sobre os teus sucessores”, mas “sobre esta rocha” – sobre esta revelação divina e sobre esta profissão de fé em Cristo (professada no v.16).

      O verso 16 é a chave central para entender esse texto por completo; pois na conversa os mesmo falavam de quem era Jesus Cristo, e Pedro faz uma revelação fantástica no Vs.16 a cerca de Jesus Cristo.

      Desta forma Jesus aplaudindo o que Pedro acabara de falar, continua a revelação dizendo.

      Pedro você é Petrus(pedra pequena), porem sobre ESTA – Petras(Grande Pedra Rochosa = a Revelação de que Jesus era o Filho de Deus) edificarei a minha igreja…

      Ou seja, Pedro, vc acabou de descobrir onde a igreja vai estar edificada, a minha igreja Pedro vai estar edificada sobre mim, e é por isso que as portas do inferno não prevalecerão contra ela…

      Agora vamos ver o que os pais da igreja diziam sobre o texto de Mateus 16.18:

      O historiador e católico devoto Von Dollinger lembra fatos inegáveis:

      De todos os Pais que interpretam estas passagens nos Evangelhos (Mateus 16.18, João 21.17), nenhum as aplica ao Bispo de Roma como sucessor de Pedro. Quantos Pais se ocuparam com estes textos, mas nenhum daqueles cujos comentários possuímos – Orígenes, Crisóstomo, Hilário, Agostinho, Cirilo, Teodoro e aqueles cujas interpretações são coletadas às centenas – têm sequer insinuado que o primado de Roma é a consequência da comissão e promessa feita a Pedro! Nenhum deles explicou que a pedra ou fundamento sobre o qual Cristo construiria a sua Igreja seria o ofício dado a Pedro que devia ser transmitido aos seus sucessores, mas entenderam que se tratava do próprio Cristo ou da confissão de fé de Pedro sobre Cristo; muitas vezes afirmando que eram as duas coisas juntas.

      Ao contrário do que a maioria dos católicos têm aprendido, os pais da Igreja Católica romana posicionaram-se unanimemente contra a interpretação Católica atual.

      E é um católico devoto, uma autoridade da história eclesiástica que ama a sua Igreja que aponta para esses fatos. Vejamos:

      Peter de Rosa, também católico devoto, habilmente contesta a supremacia e a linha contínua de sucessão papal desde Pedro:

      ―Pode ser um choque para eles [católicos] saber que os grandes Pais da Igreja não viam conexão alguma entre a declaração [Mateus 16.18] e o Papa. Nenhum deles aplica ―Tu és Pedro a alguém mais senão a Pedro. Um após outro, todos a analisaram:

      Cipriano, Orígenes, Cirilo, Hilário, Jerônimo, Ambrósio, Agostinho, E eles não são protestantes. Nenhum deles chama o Bispo de Roma de ―pedra‖ ou aplica especificamente a ele a promessa das chaves do reino.

      Isso é tão surpreendente para os católicos, como se eles não pudessem encontrar menção alguma dos Pais sobre o Espírito Santo e a ressurreição dos mortos.

      Para os Pais é a fé de Pedro – ou o Senhor em quem Pedro deposita sua fé – que é chamado de ―PEDRA e não Pedro. Todos os concílios da Igreja, de Nicéia, no século IV, ao de Constância, no século XV, concordam que o próprio Cristo é o único fundamento da Igreja, isto é, a pedra sobre a qual a Igreja se sustém. ―…nenhum dos Pais fala de uma transferência de poder de Pedro aos que o sucederam…. Não há indicação alguma de um ofício Petrino permanente.

      ―Então a Igreja primitiva não olhava para Pedro como Bispo de Roma, nem, por conseguinte, pensava que todo Bispo de Roma seria o seu sucessor….

      Os evangelhos não criaram o papado, porém o papado, alterando a interpretação correta do texto bíblico, buscou fixar sua base fraca e corrupta contradizendo as escrituras.

      Entre tantos apologistas dos primeiros séculos da Igreja primitiva, quero escolher aqui um que se destaca em profundidade e clareza, quando se trata de uma exegese coerente para mostrar a interpretação correta do texto encontrado nos evangelho de Mateus 16.18.

      Um dos principais de toda era patrísticas da idade média da história da Igreja de Cristo, foi Agostinho.

      Ele foi Bispo de Hipona no Norte da África desde o fim do século IV e primeiro quarto do século V até sua morte em 430 D.C.

      William Jurgens faz estes comentários sobre sua importância:

      ―Se tivermos que lidar com a indesejável proposta de ter de destruir completamente cada uma das obras de Agostinho ou as obras de todos os outros Pais e Escritores, eu não tenho dúvida que todos os outros teriam de ser sacrificados. Agostinho deveria permanecer. De todos os Pais, Agostinho é quem é o mais erudito, quem teve as mais notáveis percepções teológicas, e quem é efetivamente mais prolífico.

      WILLIAM JURGENS, THE FAITH OF THE EARLY FATHERS (COLLEGEVILLE: LITURGICAL, 1979), VOL. 3, P. 1).

      Existe um peso muito grande nos estudos de Agostinho, principalmente no texto do qual nos referimos, por causa do seu domínio sobre o grego koinê, língua que o texto original de Mateus 16.18 foi escrito.

      A profunda exegese de Agostinho no texto original de Mateus 16.18, explica e revela o contexto sem deixar dúvidas do que Jesus estava querendo ensinar quando expressou essas palavras.

      Vamos observar alguns dos comentários de Agostinho tirados de suas escritas logo abaixo:

      ―Mas eu sei que em seguida expus, muito frequentemente, as palavras de Nosso Senhor:

      “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja‟,

      da forma seguinte: que a Igreja seria edificada sobre Aquele que Pedro confessou, dizendo: “Tu és o Cristo, o filho de Deus Vivo‘.

      Assim Pedro (Petrus) que teria tomado o seu nome desta pedra (Petra), simbolizaria a Igreja que é construída sobre esta pedra e que recebeu as chaves do Reino dos Céus. Com efeito, não lhe foi dito: Tu és a pedra (Petra), mas: Tu és Pedro (Petrus), pois a Pedra (Petra) era o próprio filho de Deus, Cristo. Simão Pedro, ao confessar Cristo como a Igreja inteira O confessa, foi chamado Petrus (Pedro).
      (RETRACTAÇÕES, CAP. 21)

      É muito clara a intenção de Agostinho quando ele faz uma enorme separação entre as palavras petrus, e petras.

      Não tem como negar essa gritante diferença que os apologistas católicos, de forma intencional, buscam contradizer sem sucesso algum.

      Pois Agostinho, que dominava o idioma grego, escrevia nessa língua e estudava baseado nos textos originais da bíblia, ou seja, não tinha dúvida nenhuma do que estava falando.

      Depois de muito tempo estudando esse texto, Agostinho chegou a conclusão que a edificação da Igreja se dá naquilo que Pedro confessou, ou seja: ―… Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo e não sobre a própria pessoa de Pedro.

      Com isso ele montava sua tese fundamentada de que Pedro é petrus, que significa pedra pequena, pedra esta que faz composição a estrutura da Igreja, edifício sustentado por uma petras, grande pedra, ou rocha maior.

      Para Agostinho, a diferença entre petrus e petra lhe mostrava que não se tratava do mesmo sujeito.

      A prova disso é que ele diz, logo em seguida, que não foi dito a Pedro que ele era a petra, mas sim que ele era petrus, pois a petra de fundação da Igreja era o próprio filho de Deus.

      Portanto, petrus é Pedro, mas petra que é a pedra sobre a qual a Igreja está edificada, é o próprio Cristo.

      Agostinho também escreve:

      ―E eu te digo…‟Tu és Pedro, Rochoso, e sobre esta pedra eu edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus. O que ligares na terra será ligado também nos céus; o que desligares na terra será desligado nos céus’ (Mateus 16:15-19). Em Pedro, Rochoso, nós vemos nossa atenção atraída para a pedra.

      Agora, o apóstolo Paulo diz sobre o povo, „Eles bebiam da pedra espiritual que os acompanhava; e a pedra era Cristo’ (1 Coríntios 10:4). Assim, este discípulo é chamado Rochoso à partir da pedra, como cristão à partir de Cristo. Por que eu quis fazer esta pequena introdução? Para te sugerir que em Pedro a Igreja é para ser reconhecida. Cristo, você vê, construiu sua Igreja não sobre um homem, mas sobre a confissão de Pedro. Qual é a confissão de Pedro? ‗Tu és Cristo, o filho do Deus vivo’. Lá está a pedra para você, lá está a fundação, lá está onde a Igreja tem sido construída, sobre a qual as portas do inferno não podem prevalecer.

      (THE WORKS OF SAINT AUGUSTINE SERMONS, VOL. 6, SERMON 229P.1, P. 327)

      Mas é claro, O léxico da Concordância nominal de Strong, o escritor Mateus e também Agostinho de Ipona estão todos errados, não é verdade…? Porque certo mesmo é as afirmações de Fred Max Lima …. (rsrsrs)

      ——————————————————————————————————————————————
      Fala de Fred Max Lima: Na sequencia continua a falar a Pedro dando-lhe “os poderes das chaves” que representa a autoridade, censuras, excomunhão, absolvição, disciplina batismal, imposição de penas e poderes legislativos. Pedro foi o único que recebeu tal “poder” de maneira nominal e singular, tornando-o preeminente. Os demais apóstolos receberam só depois MT 18,18.
      ——————————————————————————————————————————————

      Nessa parte você mesmo se refutou confessando que dois capítulos posteriores as chaves do céus foram entregues a todos os discípulos. Sem contar que neste mesmo capitulo os discípulos brigavam para saber quem era maior entre eles, e quando Jesus chega, Ele não diz que Pedro era maior que seus irmãos e amigos discípulos. Porém se Pedro era líder escolhido pelo próprio Jesus para liderar os outros discípulos, porque Jesus não aproveitou a oportunidade para declarar isso uma vez que segundo os católico 02 capítulos anteriores Jesus tinha passado a bola da liderança para Pedro…? ( vcs me fazem rir… kkkkk )

      Outro detalhe é que a palavra entregarei em Mateus 16.18 se deriva do verbo entregar, e esta empregada no futuro, “entregarei” e não no presente “entrego”.

      Em outras versões, eu te “darei”, e não eu “eu te dou”…

      Ficando muito claro que naquele momento Pedro não recebeu chave nenhuma das mãos de Jesus, e que o contexto do qual Jesus falava era o start da pregação do evangelho iniciando com a pregação do evangelho para todas as naçoes com a chegada do Espirito Santo.

      Finalizo pedindo a você que me mostre onde estas nas Sagradas Escrituras, Jesus dizendo que os poderes das chaves entregues a Pedro, era o poder da “autoridade”, “censura”, “excomunhão”. “absolvição”, “disciplina batismal”, “imposição de penas e poderes legislativo”…?????

      Aproveitando, se vc quiser saber ainda mais sobre esse assunto, indico o livro CORAÇÃO CATÓLICO onde vc vai encontrar tudo isso e muito mais…

      • Karina Suzene

        Que horror! Você deu um baile da Chiquita no cidadão kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu se fosse ele apagava que da tempo kkkkkkkkkkkkkkkkkkk