• Karina Suzene

    Perfeito Texto! Simples e direto no cerne da questão, ou melhor coração.

    • http://www.rodolforossi.com.br Rodolfo Rossi

      Obrigado por deixar seu comentário Karina, que Deus abençoe sua vida…

  • carlos

    Caríssimos, ao colocar a palavra “agraciada” em Lucas 1, 28, revela as verdadeiras intenções de quem escreveu este texto e dos protestantes. Ao consultar a Vulgata, temos neste mesmo trecho ” Gratia Plena” e ao nos aprofundarmos nos textos em grego vemos o termo Kecharitomenê que vem a ser repleta dos favores divinos no modo particípio passivo perfeito de charitŏō, que mostra integralidade de resultado permanente, e não seria diferente “…pois os dons e o chamado de Deus são irrevogáveis ( Romanos 11, 29). Não podemos nos esquecer que o anjo Gabriel chama Maria de “Cheia de Graça” e que ” …a graça é fonte de salvação”( Tito 2, 11). Além de que… “Quem fará sair o puro do impuro? Ninguém.”( Jó 14,4.) Dizer que Maria tem pecados contradiz as escrituras uma vez que Maria não diz ter pecados, mas chama a Deus de salvador porque foi salva sendo preservada do pecado. “De fato o pecado não vos dominará, visto que não estais sob a lei, mas sob a graça” ( Romanos 6,14). Por favor pare de insultar a Mãe de Jesus e a inteligência dos católicos.

    • http://www.rodolforossi.com.br Rodolfo Rossi

      Olá Sr. Carlos, primeiramente quero agradece-lo por nos visitar e deixar seu comentário nesse post.

      Pois em nenhum momento coloquei qualquer restrição que seja em Lucas 1.28, pois deixei bem claro que existe duas linhas sobre esse versículo.

      Porém aproveitando seu comentário sobre Maria ser cheia de Graça, vou lhes responder com base bíblica. oK? Pois isso faltou e muito em seu comentário…

      O argumento que Maria não tinha pecado porque era cheia de graça, é errado e diabólico.

      Quando vamos estudar a palavra ―graça, a mesma tem o seguinte significado:

      Dicionário Houaiss
      Favor ou benefício concedido por Deus a um fiel; boa vontade para com (alguém); benevolência.

      Enciclopédia Livre Wikipédia
      Graça é um conceito teológico fortemente enraizado no Judaísmo e no Cristianismo, definido como um dom gratuito e sobrenatural dado por Deus para conceder à humanidade todos os bens necessários à sua existência e à sua salvação.

      Esta dádiva é motivada unicamente pela misericórdia e amor de Deus à humanidade, logo, movida por Sua iniciativa própria, ainda que seja em resposta a algum pedido a Ele dirigido.

      E também por esta razão, a Graça é um favor imerecido pelo Homem, mas sim fruto da misericórdia e amor divinos.

      Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia – R.N. Champlin
      Dentro da Teologia Cristã, a ―Graça veio indicar o favor divino, gratuitamente oferecido, com base na missão de Cristo, recebida através da confiança humana na Palavra de Cristo.

      Dicionário Bíblico – João Batista Ribeiro Santos
      Graça – manifestação de bondade. Quem recebe favor ―acha graça aos olhos de quem o dá; por exemplo: ―Noé encontrou graça aos olhos de Javé ( Gênesis 6.8 ).

      Em Salmos 84.11 a bíblia diz que Deus concede graça para aqueles que andam em seus caminhos.

      No Novo Testamento, ―Graça é conceitual em vários significados:

      ― Pode ser o Reino de Deus como esta escrito em Mateus 20.1-16; ―também pode ser o Perdão de alguém ou de Deus como podemos ver em Mateus 18.21-34; ― Pode ser de alguma forma a confirmação do ministério Apostólico, e também a Salvação como mostra o texto de Atos 6.8 – Atos 11.23 – Atos 13.43 – Atos 14.26– Atos 15.40 – Atos 18.27; ― pode também estar ligados aos dons como mostra o texto de Romanos 5.15 – Romanos 6.1; ― em 1Coríntios 10.30 e Gálatas 2.21 vem nos ensinar que a gratidão e a justificação são graça; de maneira que o Apóstolo Paulo sobrepõe a graça ás obras da lei.

      Em Resumo, a palavra ―graça tem como significado teológico: ― favor imerecido, ou seja, a pessoa não merece tal ―dádiva, porém a mesma lhe é dada. ―Graça é recebermos aquilo que não merecemos.

      A Palavra ―graça não vem por causa de merecimento ou santidade, pelo contrário, graça, como podemos perceber, está ligada de quem ela vem e não de quem a recebe.

      Isso fica muito claro quando analisamos um texto – muito usado pelo Catolicismo Romano – encontrado no evangelho de Lucas. Vejamos:

      LUCAS 1.28-30
      ―E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta. Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus.

      Percebam, que ao olharmos o contexto, o texto está narrando a graça de Deus em favor de Maria e não a graça de Maria em favor de Deus.

      Isso significa que Maria era ―agraciada por Deus, simplesmente por ele tê-la escolhido para carregar a maior graça Divina já concedida aos seres humanos: Jesus Cristo.

      O que Fez Maria ser ―agraciada foi a escolha de Deus e não a sua natureza sem pecado, pois o texto não esta falando de Maria não ter Pecado, e sim da escolha de Deus em deixar Maria carregar o seu filho unigênito.

      Analisando as Escrituras Sagradas, fica claro que o texto não fala de ―Pecados, mas sim de uma Escolha de Deus.

      Dizer que Maria não tem pecado argumentando sobre o texto de Lucas 1.28, é no mínimo demostrar a falta de conhecimento bíblico, e de uma verdadeira interpretação correta das Escrituras Sagradas.

      Só isso seria o bastantes para desmontar as mentiras e falácias do catolicismo romano.

      Porém, o Catolicismo Romano insiste em afirmar – mesmo não tendo base bíblica – que o fato de Deus ter escolhido Maria se deu por ela não ter pecado algum, por isso, o Anjo a chamou de ―Agraciada ou ―Cheia de Graça.

      Se for assim, podemos dizer então que Estevão, o primeiro mártir da Bíblia Sagrada, nunca pecou:

      ATOS 6.8
      ―Estevão, homem cheio da graça e do poder de Deus, realizava grandes maravilhas e sinais entre o povo.

      E nenhum da Igreja de Coríntios pecou:

      2 CORÍNTIOS 9.8
      ―E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra.

      Também nenhum da Igreja de Efésio pecou:

      EFÉSIOS 1.6
      ―Para o louvor da glória da sua graça, com a qual nos encheu de graça no Amado.

      Também nenhuns dos Apóstolos pecaram:

      ATOS 4.33
      ―E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.

      E para melhorar um pouco mais, os leitores do evangelho de João também não contém pecado algum:

      JOÃO 1.16
      ―E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça sobre graça.

      O simples fato de Maria obter a graça de Deus, não significa que a mesma não tinha pecado em sua vida.

      Pois Maria passou a existir na época da Lei, e foi exatamente por não achar ninguém capaz de cumprir a Lei, que Deus tinha ordenado para seu povo, que Jesus teve de vir cumprir e morrer em nosso lugar.

      Paulo vem falar em sua carta aos Romanos, que não existe um ―Justo sequer nesta terra que não esteja de alguma forma debaixo de pecado.

      Pois através do pecado original, todos pecaram, possuindo uma natureza pecaminosa.

      ROMANOS 3.9,10
      ―Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado; Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.

      Dizer que Maria não tinha pecado algum é o mesmo que dizer que Jesus errou ao vir morrer em nosso lugar quando se havia outra opção.

      Se Maria não tinha pecado, por que a mesma não ofereceu a sua vida em prol da salvação de todos nós?

      Pois somente uma pessoa que não tinha pecado poderia morrer como ―Cordeiro Imaculado‖ pelos pecados de todos desta terra.

      Termino dizendo querido amigo Sr. Carlos, por favor: Pare de insultar a inteligência do leitores da bíblia, e também da palavra de Deus deixada pelo Espirito Santo através dos apóstolos e seus conservos.